MindFulness (Atenção Plena)

Já que somos todos intensos precisamos encontrar uma forma de transformar essa intensidade em algo produtivo… Você conhece o Mindfulness? É uma prática de Atenção Plena que nos ajuda a desenvolver a capacidade de prestar atenção ao momento presente, a tudo que surgir interna e externamente, sem focar em julgamentos ou em desejos de que as coisas sejam diferentes. Isso não significa que precisamos aprender a ser resignados, muito pelo contrário, nos ajuda a entender que, para mudar alguma coisa, precisamos aceitar aquela condição. Se nos mantermos no presente, sem remoer o passado ou se preocupar tanto com o futuro, conseguiremos ter resultados muito melhores!

Experimente, pratique diariamente e/ou em momentos em que for tomado por emoções. Duas emoções opostas não conseguem permanecer no mesmo momento, por isso a importância de praticar o mindfulness, trazendo o relaxamento você conseguirá ter equilíbrio para tomar as melhores decisões!

Habilidades para a prática do Mindfulness:

PERCEPÇÃO

– Aprender a focar a atenção

– Perceber pensamento, emoções e sensações corporais, assim como imagens, sons, cheiros e gostos

OBSERVAÇÃO NÃO JULGADORA

– Senso de compaixão em relação à própria experiência interna

– Perceber os julgamentos constantes que fazemos sobre nossas experiências

– Recuar e perceber as experiências sem rotulá-las como “boas” ou “más”

PERMANECER NO MOMENTO

– Observar o aqui e agora, em vez de focar o passado e o futuro

– Praticar a paciência no momento presente, em vez de apressar para o que quer que venha

– Participar das experiências conforme elas acontecem

PENSAMENTO DE PRINCIPIANTE

– Observar as coisas como realmente são, em vez de deixar que o que “pensamos saber” tornar-se verdade e venha tornar obscura a nossa experiência

– Abrir-se para novas possibilidades

PREPARAÇÃO PARA A PRÁTICA DE MINDFULNESS

– Sentar-se em uma postura ereta, em uma cadeira ou com as pernas cruzadas na almofada

– Olhar levemente abaixado e relaxado

– Observar entre os pensamentos que surgem naturalmente (automáticos) e o pensar elaborado

– Minimizar a distração com preocupações passadas e futuras, reformulando-as como projeções mentais que ocorrem no presente

– Usar a respiração como foco, como objeto da prática para a atenção plena, contando a sequência de inspirações e expirações

– Permitir que a mente descanse naturalmente ao invés de tentar suprimir a ocorrência de pensamentos

– Fazer a sequência de respirações que está na foto

REFLEXÃO FINAL

– O que me atrapalha hoje?

– Por que minha mente não está onde meu corpo está?

– Onde minha mente está?

– No que preciso focar hoje para resolver meus problemas?

– Qual meu planejamento para atingir meus objetivos?

Deixe seu comentário...

Compartilhar Artigo

Mais Artigos

Artigos

Avaliação Neuropsicológica

Ao se deparar com um pedido de avaliação neuropsicológica é comum vir uma série de medos e inseguranças…. começando os “e se”…. Mas existe uma

Open chat